Video IG TV 2min30s - Documentary Vermeer
Roteiro legendado:

Será que ela está olhando na sua direção ou desviando o olhar?

Ainda não se chegou a um acordo

Ela é o misterioso tema do mestre Holandês Johannes Vermeer 

Moça com Brinco de Pérola

Uma pintura também conhecida como “A Monalisa do Norte”

Uma moça lendo uma carta

Uma aula de piano

O retrato de um artista trabalhando

Elas nos passam uma sensação de intimidade mas, ao mesmo tempo, mantém uma distância

Uma cortina em primeiro plano sempre realça essa separação

Podemos observar uma ordenhadeira, calmamente derramando leite numa tigela

Mas aquele leite nao é para nós, 

Somos apenas expectadores.

A meticulosa composicao nas obra de Vermeer 
Invoca uma harmonia equilibrada

Usando o chao xadrez em várias de suas obras

Vermeer demonstrar seu domínio de perspectiva e espaço

É uma técnica que usa distorção 

Para dar a ilusão de um objeto recuado na distância

Outros elementos, como linhas de visão, espelhos e fontes de luz 

Descrevem o momento através do espaço e da posição

A mulher lendo uma carta perto da janela aberta

É posicionada de modo que a janela reflita sua imagem para o expectador

Vermeer chega a esconder a perna de um cavalete pelo bem da composição

A ausência desses mesmos elementos dá vida para a “Moça com brinco de Pérola” 

O tratamento da luz e sombra ou “claro-escuro”, de Vermeer

Usa um fundo plano escuro, para depois destacar a tridimensionalidade da moça,

Em vez de ser colocada em uma cena narrativa teatral

Ela se torna um objeto psicológico

O Olhar, os lábios levemente separados, como se fossem dizer alguma coisa


Nos arrastam para ser olhar

E a propria pérola, um simbolo de riqueza, é na verdade um exagero

Vermeer não teria como adquirir uma pérola real daquele tamanho

Deve ter sido um pingente de vidro para imitar uma pérola

Essa miragem da riqueza e refletida na própria pintura 

Olhando de longe, a pérola parece redonda e pesada

Mas uma visão mais detalhada mostra ser apenas uma truque de luz

Olhando de perto somos lembrados do poder de Vermeer de fabricar ilusões

Talvez nunca venhamos a conhecer a identidade da moça do quadro

Mesmo assim seu retrato nos atrai de uma maneira inesquecível
Video post Instagram formato stories 30 segundos
----------POST BLOG------------
Arte em tempos de adversidade: a esperança nas telas de Vermeer 

Johannes Vermeer (1632- 1675), foi um pintor holandês, nascido em Delft, que
retratou pessoas comuns em cenas do cotidiano doméstico. Sua obra somente obteve
reconhecimento mais de 200 anos depois de sua morte, porém seus quadros nos
permitem um olhar para uma época onde o interior doméstico era o retrato da espera
por dias melhores.
Tendo vivido por apenas 42 anos, o pintor desenvolveu, em suas obras, uma realidade
fotográfica de quando a Holanda ficou completamente isolada. O ano de 1672 ficaria
marcado para sempre na história, quando França, seguida pela Inglaterra e Alemanha,
declaram guerra e escolas foram fechadas assim como o comércio, lojas e teatros,
levando as pessoas comuns, antes retratadas em cenas públicas em mercados e festas,
a ficarem isoladas, realizando trabalhos em suas casas.
Vermeer, foi mestre no uso de efeitos e acentuado contraste de claro-escuro, luz-
sombra que intensificam a sensação de profundidade e expressão de sentimentos,
características da arte barroca. Mostrou o lado mais íntimo da Holanda, à época
tomada pelo medo, hoje uma das sociedades mais vanguardistas.
Vermeer nos inspira_ arte como esperança de dias melhores.
Veja mais obras do artista:
Coleção Cápsula Moça com brinco de Pérola 
------------------------------Post Feed Instagram-------------------------
Por que Vermeer como inspiração para a coleção “Moça com Brinco de Pérola”
Escolhida a minha referência para a nova coleção 2020. “Moça com brinco de Pérolas”
_Meisje met de parel de Johannes Vermeer, um clássico realista de 1665, hoje no
museu @mauritshuis_museum em Haia, Holanda.

#amoçadasaguas de #monicaseverojoalheriacontemporanea mergulha agora no cotidiano
da feminilidade criativa com #olhar ambíguo porém sereno!

Nas obras de Vermeer o azul ultramarino se harmoniza, brilhantemente, com amarelo,
o marrom, o vermelho e o branco.
Instagram Stories "Vermeer"
-------------------------------------------FIM DOS POST--------------------------------------
Post Blog Mulheres e Pérolas, uma historia de amor pelo tempo.mpo!
A importância das pérolas na historia da joalheria.
A jóia é uma das mais antigas formas de expressão de nobreza e poder. Desde os
egípcios esses adornos corporais feitos de pedras preciosas fazem parte da vida
humana. Ao longo da história foram retratadas em milhares de quadros e expressões
artísticas.
Jóias e adornos com pérolas simbolizam a elegância e sofisticação.
A pérola é considerada um símbolo lunar ligado à água e às mulheres, o princípio yin, símbolo
da feminilidade criativa.
Amor, beleza e pureza: assim associamos pérolas às mulheres.
No Oriente a pérola era considerada afrodisíaca e fecundante, um talismã. Na China e
Índia é o símbolo da imortalidade, ritmo cósmico, cíclico, que, à imagem das fases da
lua, pressupõe nascimento, vida, morte e renascimento.
Na Grécia Antiga, sinônimo de amor e casamento.
Na moda, Chanel eternizou-as em longos colares, de várias voltas, misturando pérolas
sintética à pérolas verdadeiras, tornando-os um ícone de sua marca. Chanel ajudou a democratizar as pérolas ao afirmar que elas não deveria ser símbolo de status, mas sim símbolo de bom gosto e elegância
Posts para Stories  - Mulheres e Pérolas
"Moda em tempos de adversidade: O que podemos aprender com Coco Chanel?"

Depois da Primeira Guerra Mundial as hierarquias sociais tiveram de ser modificadas, as mulheres começaram a fazer parte da força de trabalho. A burguesia  que havia acabado de nascer começou a demandar mais do que mera imitações do que era vestido pelos ricos e nobres. Bom design começou então a ser tão importante quanto a qualidade das roupas e as linhas entre a alta-costura e produção de massa começaram a desaparecer.
Essa nova estrutura social afetou a moda como nunca antes na história, as novas tecnologias, meios de distribuição e uma queda no preço das roupas foram os fatores para a democratização da moda na década de 20, e um nome representa essa mudança como nenhum outro: CHANEL  
Vindo de um passado pobre, abandonada pelo pai e criada como órfã por freiras, Chanel foi a primeira design a considerar aspectos funcionais no guarda-roupa feminino. Ela criou roupas práticas para que as mulheres pudessem trabalhar, assim como ela, e passassem a se sentir confortáveis, invés de manequins artificiais. 
Chanel ajudou a libertar o corpo da mulher com simplicidade e mudou para sempre a forma como entendemos a palavra elegância, apresentando roupas "simples" antes usadas apenas por trabalhadores no mundo da alta-costura.

Devido à guerra, a malha fria, o famoso jersey, um tipo de tecido considerado pobre e usado na época apenas para fabricação de cuecas estava abandonado e com muita sobra de estoque. Chanel comprou todo o estoque disponível na época por um preço bem baixo. Era a primeira vez que a malha fria seria usada na alta-costura e adotado para fabricação em massa. Sua boutique em Paris foi aberta em 1913, a linha de esporte-fino em jersey foi um estrondoso sucesso comercial, mudando a forma como mulheres se relacionavam com seu corpo para todo o sempre!

Depois do Crash da bolsa em 1929, uma das maiores crises econômicas da historia, Chanel decidiu que sua boutique, alem de fazer roupas sob-medida também iria iniciar a venda de modelos prontos com um preço mais barato, sendo a primeira designer em Paris a introduzir o prêt-à-porter, mudando o futuro da moda e criando o conceito que conhecemos hoje, onde você entra em uma loja, escolhe a roupa pelo tamanho, paga e sai com seu produto.

Suas escolhas por materiais que focavam na praticidade, adaptando o guarda-roupa masculino ajudou a introduzir a "calça para mulheres" em uma sociedade que acreditava que calça deveria ser usada apenas por homens, derrubando estereótipos de gênero e liberando o movimento de ir e vir de mulheres em todo o mundo.

Chanel foi mais do que uma designer, ela criou a forma como nos relacionamos com nosso corpo e nossas roupas e apagou as linhas entre gêneros e classes sociais. Liberdade de movimento, conforto e uma nova forma de entender elegância, que mesmo depois de 100 anos nunca sai de moda, afinal, quem não tem uma peça de malha jersey no guarda-roupa?

Rod M cursa Pos-graduacao em Fashion design pela Westminter University em Londres.
Post Instagram gif format

You may also like

Back to Top